Categoria: Família



Vale a pena ter uma varanda Gourmet?

Vale a pena ter uma varanda Gourmet?

Se você gosta de cozinhar, receber os amigos e passar bons momentos com a família, sem abrir mão da privacidade, então seu imóvel precisa ter uma Varanda Gourmet, sim

As varandas gourmet vêm se tornando um atrativo nos imóveis, principalmente das grandes cidades brasileiras. Essa tendência do mercado imobiliário valoriza o imóvel, além de usar com inteligência os espaços, priorizando a integração dos ambientes.

É justamente essa integração que proporciona uma sensação de amplitude dos espaços, proporcionando bons momentos de um jeito estiloso e confortável.

Varanda Gourmet

Para quem sempre morou em casa, a varanda gourmet além de ser uma área de diversão e relaxamento, também exerce o papel do ambiente externo, como quintal, jardim.

Para incrementar seu espaço gourmet confira as dicas abaixo:

  • Utilize revestimento em azulejos ou pastilhas: além de compor a decoração, facilita a limpeza
  • Feche a sacada com vidro: o vidro protege o espaço e não prejudica a luminosidade
  • Nada de usar móveis estofados com tecido: a churrasqueira vai deixar tudo com cheiro de fumaça;
  • Aposte em uma bancada e uma pia de mármore
  • Use e abuse de plantas, ou hortaliças, para deixar a decoração ainda mais linda e natural

O Humberto Primo Reserva e o Saphir Morgado de Mateus são dois empreendimentos da Fraiha que possuem a varanda gourmet em suas plantas.

Conheça mais acessando o site: www.fraiha.com.br

Decoração Minimalista. Saiba tudo!

Decoração Minimalista. Saiba tudo!

O minimalismo surgiu na década de 60, após a 2ª guerra mundial. Na ocasião, as pessoas tiveram que aprender a viver com menos e não demorou muito para o minimalismo se tornar um estilo de vida.

E com a decoração não foi diferente. Um ambiente minimalista é composto por objetos e elementos que cumprem uma função prática no espaço ou na decoração.

Nada de acumular objetos ou móveis que não tenham um objetivo e que acabam dificultando a limpeza e a organização.

O principal objetivo de uma decoração minimalista é tornar o ambiente mais confortável e aconchegante, além é claro, de promover uma conscientização sobre a necessidade do consumo consciente.

Confira algumas dicas que vão te ajudar a compor um ambiente minimalista:

  1. Invista na iluminação natural: além de ajudar na economia de energia, você retira do ambiente objetos de iluminação
  2. Faça uma limpeza: Elimine tudo aquilo que não tem um significado ou um propósito no ambiente.
  3. As cores neutras e as formas geométricas são boas opções para compor um ambiente minimalista, assim como pontos com cores mais fortes e contrastantes fazem o ambiente mais alegre e receptivo.
  4. Organização: No minimalismo, cada coisa tem lugar e funções definidas.
  5. Menos é mais: Se ficou em dúvida se algo vai ou não combinar com o espaço, se pergunte: Vai ter utilidade no meu ambiente?

Gostou das dicas? Se estiver procurando um espaço para aplicar os conceitos do minimalismo, acesse nosso site e confira nossos empreendimentos!

Inspirações e dicas para decorar o quarto de crianças.

Inspirações e dicas para decorar o quarto de crianças.

O quarto de uma criança é o ambiente mais importante para ela dentro de casa. É o lugar onde ela dorme, aprende, cresce, descansa e se diverte.

Por isso, é muito importante planejar esse ambiente e decorá-lo para que ele satisfaça as necessidades infantis – além disso ainda é preciso que ele seja confortável, divertido e que estimule a criatividade e os sentidos dos pequenos.

Conheça as dicas a seguir e inspire-se com as imagens na galeria acima.

Segurança. Uma criança ainda não possui noção do que é perigoso e pode a machucar. Por isso, é fundamental que você pense nisso por ela.

A segurança dos seus filhos é fundamental dentro de um ambiente que deve ser seu porto seguro.

Algumas providências a se tomar são usar um protetor de tomada para evitar choques de dedos curiosos, protetores de quinas para dores indesejadas e grades em beliches para o sono não acabar em um pesadelo.

Mobiliário. Como já falamos, o quarto de uma criança é um cantinho que precisa oferecer segurança e bem-estar. Por isso, pense em um quarto com móveis confortáveis e seguros, sem se esquecer do jeitinho do seu filho na hora de escolher o design e o estilo desses itens.

Independente da idade da criança, invista em móveis de boa durabilidade e com as quinas arredondadas para evitar acidentes. No caso de mesas de desenho e cadeirinhas, é importante que a altura seja adequada, para que o pequeno não fique com dor nas costas e possa apoiar os seus pés no chão sem esforço.

Parede Lousa. Essa é uma forma ainda mais criativa de dar espaço para a criança deixar a imaginação fluir nas paredes. A parede lousa é uma forma de decoração dinâmica que pode ser personalizada a qualquer momento e dá um toque de criatividade aos ambientes.

Para criar uma (ou mais) no quarto da sua criança existem dois métodos: com papel autoadesivo ou com tinta.

Brinquedos. Nada melhor do que um brinquedo colorido, cheio de formas e possibilidades para estimular a criatividade e desenvolvimento motor e cognitivo de uma criança.

Para crianças menores, ainda com pouco entendimento do que pode ou não ser levado à boca, dê preferência aos brinquedos maiores, com encaixes fáceis e produzidos com material atóxico ou macio. Para crianças maiores, os brinquedos podem ser mais elaborados, com formas variadas que exigem mais criatividade da criança para brincar e criar histórias.

Nichos, prateleiras e caixas. No quarto de uma criança você pode investir nesses três, principalmente em caixas para seus filhos guardarem brinquedos, livros, jogos e mais coisas. Fora isso, todos eles, além de servir para a organização do ambiente, têm função decorativa.

Além disso, sua distribuição deve ser bem pensada, já que devem oferecer o acesso fácil à criança. Já prateleiras e nichos com quadros, porta-retratos e objetos decorativos não entram nessa regra.

Papel de parede. O material é uma ótima opção para quartos infantis. Entre suas vantagens estão:

  • inúmera quantidade de texturas e cores;
  • facilidade para aplicar, podendo você mesmo fazer isso;
  • praticidade também para remover, já que as crianças crescem rápido e seus gostos tendem a mudar na mesma velocidade;
  • o material é de fácil limpeza e manutenção.

 

FONTE: HOMETEKA

4 perguntas para se pensar.

4 perguntas para se pensar.

Você está pronto para comprar um apartamento?

A vida adulta é repleta de desafios importantes e uma delas é a hora certa de comprar um imóvel. Por se tratar de um investimento, é comum ficaremos em dúvida se estamos realmente prontos para realizar essa importante aquisição. Confira a seguir quatro perguntas que você deve fazer para antes de tomar uma decisão.

1. Por que devo comprar um apartamento?

O primeiro passo para analisar se é o momento certo de comprar um apartamento é conhecer e avaliar se o motivo que te faz querer realizar a compra é realmente essencial para a sua vida nesse momento: morar sozinho, investir em um bem importante, sair do aluguel ou por ter planos de constituir uma família no futuro.

2. Quero um apartamento novo ou usado?

Nesse momento, é preciso levar em conta a questão financeira. Um imóvel novo, geralmente, custa mais caro do que um usado, porém, você será o primeiro dono e morará em um empreendimento mais moderno e que costuma ter um valor mensal de condomínio mais baixo se comparado aos prédios antigos, que têm mais gastos com manutenção. É importante ponderar o que vale mais a pena, uma parcela de financiamento maior ou um condomínio com custo mais elevado.

3. Tenho renda para adquirir um imóvel?

Antes de decidir pela compra, é importante conhecer as formas de pagamento disponíveis e analisá-las, levando em conta os gastos atuais que você possui e como as parcelas entrariam em seu orçamento sem te deixar no vermelho. Além disso, é importante também avaliar se você ficará com uma reserva após investir na entrada do apartamento, que costuma ser um valor significativo.

4. Possuo um planejamento para comprar o meu apartamento?

Por ser uma decisão importante da vida adulta, é muito importante ter um planejamento sobre a compra do imóvel. Neste plano, é preciso listar o que você espera do apartamento e o que é essencial para você, por exemplo, comodidade, estar próximo ao metrô, boa vizinhança, bairro com acessibilidade, entre outros pontos.

Veja os principais cuidados com crianças pequenas em apartamento

Veja os principais cuidados com crianças pequenas em apartamento

A medida que a família cresce, algumas adaptações se tornam necessárias para harmonizar o cotidiano de todos. É o caso de apartamentos onde vivem crianças; neles, espaço, segurança e fácil manutenção deixam de ser vantagem para se tornar necessidade.

O tamanho do apartamento e as opções de lazer do condomínio influenciam, e muito, na rotina da família. Por isto, escolha imóveis que acomodem bem a todos, com ambientes internos e externos adequados, afinal, crianças precisam de espaço pra correr, brincar e gastar energia.

Locais com jardim, quintal ou playground, por exemplo, ajudam no processo de interação entre as crianças do prédio/ condomínio, e colaboram para que não fiquem tão agitadas ao sentir-se “presas” por muitas horas em um mesmo ambiente.

Quanto à segurança da criança no apartamento, grades e redes de proteção nas janelas e sacadas são essenciais e, mesmo com elas, evite mobílias que possam se transformar em “escadas”, como acontece quando os pequenos utilizam estantes, sofás e camas para alcançar as janelas.

Travas de segurança ajudam a dificultar o acesso a locais onde houver itens perigosos, como materiais de limpeza, remédios e produtos inflamáveis. Aliás, tampas de vaso sanitário também devem ficar sempre fechadas, assim como as portas de banheiros.

Protetores de tomada são importantes para evitar choques, assim como manter extensões em locais mais altos. Atenção com utensílios e líquidos quentes na mesa da cozinha; a criança pode puxar a toalha e derrubar em si. Cuidado também com bibelôs, artigos frágeis e pontiagudos e plantas venenosas colocadas pelo apartamento.

As piscinas devem ser protegidas com cercas de no mínimo 1,5m, para que não sejam escaladas. E, mesmo com toda a segurança, nunca deixe as crianças desacompanhadas, em nenhum local. Ainda que outros pais e mães estejam por perto, nem eles, nem o porteiro ou qualquer outra pessoa pode ser responsável pela segurança de seu filho.

Filhos pequenos vivem melhor em casa ou apartamento?

Filhos pequenos vivem melhor em casa ou apartamento?

Para quem tem filhos pequenos, a escolha certa entre morar em casa ou apartamento depende não apenas das crianças, mas muito do perfil dos moradores. Por isto, alguns pontos positivos e negativos de cada opção facilitam a escolha.
Quando ainda são recém-nascidos, os pequenos ficam bem tanto em casa como no apartamento, pois não demandam muito espaço. Talvez os pais se preocupem um pouco com o barulho, como nas situações em que o bebê chora um pouco mais em noites de cólica, entre outras situações normais para quem tem bebês. Mesmo assim, vale lembrar que esta é uma fase passageira e que uma visita ao vizinho pedindo que sejam compreensivos com o momento pode ajudar bastante.
Já quando crescem um pouco mais e começam a engatinhar, correr e brincar, é comum que os pais comecem a receber conselhos de familiares e amigos para morar em uma casa grande, de preferência com quintal. A ideia é que casas têm mais espaço para plantas e animais de estimação, além da sensação de liberdade, que também pode ser maior.
Porém, o conselho só vale para quem está preparado para garantir os custos e, principalmente, trabalhos de manutenção destes espaços. Afinal, quintais precisam ser podados, telhados podem ter calhas entupidas e até a segurança de casas pode ser mais frágil, dependendo do local onde o imóvel está situado, entre outros fatores.
Dessa forma, seja casa ou apartamento, o fundamental é oferecer a seus filhos um espaço de acolhimento, conforto e segurança. E, para isto, apartamentos em prédios com playground, área recreativa, piscina infantil, entre outros espaços adequados para crianças, por exemplo, podem dar conta das necessidades. Além disso, condomínios são uma ótima oportunidade para seus filhos fazerem amizades e brincarem em locais mais seguros.